PARI PASSU

O acompanhamento, a par e passo, da vida nas Ilhas dos Açores, desde a economia e política até à cultura e religião.

12.12.05

Aterro de S. Miguel

O tempo de vida do aterro sanitário de S. Miguel tem apenas 18 a 20 meses de vida útil.
E os responsáveis por esta situação grave são a Associação dos Minicípios de S. Miguel e o Governo Regional. Que estão muito mais preocupados com a política cultural( festivaleira) de pacotilha e enlatada, e com as obras faraónicas de betão, desnecessárias e sumptuosas. Mas esquecem-se do lixo e do seu tratamento. Estranhas prioridades!

3 Comments:

At 3:53 da tarde, Blogger Nuno Barata said...

A solução para os residuos sólidos em Ilhas como a nossa é a inceneração por métodos pouco poluentes e seguros. O Governo insiste em não querer esta solução. A Associação de Municipios de São Miguel há muito que tenta fazer ver mas o governo não quer ver.

 
At 8:30 da manhã, Anonymous Voxx said...

Será que a guerra não é outra? fazer oposição por oposição?

É no fundo a "porca da política"

 
At 11:05 da manhã, Anonymous HX said...

Sr Barata, isso é provavelmente como dizer que a solução para o crescimento do consumo energético é a instalação de centrais nucleares, energia limpa de forma quase inesgotável...mas claro que os riscos são muitos e também são produzidos resíduos.
Ora a solução-incineração embora seja amplamente usada em diversos países incluíndo no nosso, sejam com ou sem aproveitamento energético, é uma forma de tratamento que não está isenta de riscos e não elimina totalmente os resíduos (resultam escórias que têm de ir para aterro, filtros de lavagem das emissões gasosas etc.)e ainda existem os custos envolvidos na implantação de equipamento deste tipo que são altissimos...
HX

 

Enviar um comentário

<< Home